quarta-feira, dezembro 03, 2008

Procura-se... [Re-atualizado]


Procura-se uma musa. Não precisa ser loira, morena, ruiva, não. Também não precisa ser alta, baixa, mediana, tampouco ter nível universitário, mestrado, pós doutorado - que seja apenas inteligente -.Não precisa gostar das mesmas coisas do que eu, ler os mesmo livros ou escutar os mesmos cantores, embora isso fosse bom. Não precisa nem mesmo morar perto de mim: pode ser daqui do Rio, ou de Paris, Tailândia ou mesmo da Groelândia (ou da Tijuca). Requer apenas uma virtude, rara e pouco explorada entre as mulheres: saber me enfeitiçar.

Que consiga me encantar e ocupar todos os espaços de ócio de meus pensamentos com sua imagem, até a hora que, quando eu der por mim, ocupe todo minha mente. Que me motive, inconscientemente, a ser um homem melhor, buscar ser um profissional melhor, um amigo melhor, um amante melhor...enfim, que busque novidades para ter o que contar. Que tenha o dom de fazer com que eu crie uma trilha sonora especial para momentos como esse, só para arranjar só mais um pretexto para lembrar de minha musa. Que me inspire a escrever prosas, poemas, cartas, posts, todas ridículas e passionais.

Que me faça companhia nos meus devaneios: que quando sonhe, conscientemente, numa cena romântica , tipo as de cinema,ou quando imaginar um pôr-do-sol na Lagoa, o céu estrelado de Vassouras, um banho de chuva em Paris ou mesmo um passeio de Gôndola em Veneza ou uma corrida no Central Park (com direito a café no Central Perk), em vez de eu ver uma sombra do meu lado, vejas tu, musa minha.

Que minha relação com essa musa seja de platonismo. Que em um dia pense concretamente que tenho em minhas mãos, que a musa se humanizará só para me dar o prazer de seus beijos, mas que no outro, perceba que, na verdade, quem está no comando não sou eu, que sou um brinquedo nessa história. Que me faça sonhar com seus beijos, seus carinhos, seus abraços, imaginando qual a cor e forma deles. E aí, que fique em suas mãos escolher que caminho devo tomar. Torço eu para que não fique no campo do platonismo, que se torne algo real, concreto,que o amor emergido seja "com grande liberdade, dentro da eternidade e a cada instante".

Mas, se nao for assim, e ela, no dia seguinte, sem eu perceber, desapareça sem deixar, ao menos, um bilhete, eu possa sofrer e, na sofridão, descobri que amei, amei demais. Amei intensamente, como deva ser.


E aí, eu coloque nos classificados, novamente:Procura-se uma musa!



Musica ambiente: Smile (Sorri) - Djavan

5 comentários:

nayara cristina disse...

infelizmente nao sou musa, mas de amiga e aprendiz eu sirvo com prazer. :) e mudanças são mesmo ótimas, adorei o Memórias de um Subversivo. e você, como sempre, querido e inteligente. beijo.

Anônimo disse...

Olá! Tomara que vc encontre sua musa, mas ainda acho que vc está convivendo demais com o Rodrigo...

Beijos Bele

Anônimo disse...

Olá , Nelton tudo bom?
Adorei seu texto sobre a musa, é lindo, romântico mas também muito triste, porque ela tem que desaparecer no final? Tomara que você encontre sua musa e que ela seja para sempre, afinal adoro finais felizes.
Ps: Nâo sei se você ainda se lembra de mim. Mas mesmo assim felicidades para você .
Beijos e saudades
Mari

Anônimo disse...

"Procura-se um amor, que tenha cor de mel, veneno no sabor, açucar pro meu fel, que saiba iludir, fingir, ludibriar, que saiba esculpir, o meu modo de amar..e entenda o porque da mutação, de um coração que vive sempre a vagar, que por amar demais, demais se machucou, e cansou da ilusão de ser feliz"
beijocas..naty

Rosiane disse...

Olá Nelton... Adorei o texto... Só não gostei do final rs...
Musa só pra uma noite? Musa é pra vida toda!
Vc escreve mt bem... Parabéns, andarei por aqui de vez em qdo... té mais!